Novo Projeto de Meditação

por Hugo

Meu primeiro contato com a ideia de meditação foi ao assistir um documentário sobre monges budistas. O narrador explicava que esses monges passavam horas a cada dia sentados, em silêncio, de olhos fechados, “meditando”. Ele não entrava em detalhes sobre o que seria esse ato de meditar, parecia que era autoexplicativo.

Mais tarde, alguém me explicou que meditar era “pensar em nada”! Eu tentei algumas vezes, para entender do que se tratava, mas não conseguia manter a mente pensando em nada… logo surgia algum pensamento sobre o dia e eu me distraía pensando em alguma fantasia qualquer.

Eventualmente, fui aprendendo mais detalhes sobre a meditação. Eu falhei homericamente em pensar em nada porque, realmente, seria como começar a me exercitar fazendo flexões de um braço. Entendi que a posição da meditação era um artifício para acalmar o corpo e permitir que a concentração total fosse sobre a mente.

Por fim, aprendi o maior benefício básico da meditação, um ganho que surge desde os primeiros dias de prática: a mente vai se pacificando, o número de pensamentos aleatórios vai diminuindo e a energia mental se mantém. Para usar a mesma metáfora que um professor meu utilizou: imagine que a mente é um grande reservatório, como se fosse o lago de uma enorme barragem. Cada pensamento que nós temos é como se fosse um canal saindo desse lago. Com mil pensamentos por segundo, o reservatório está sempre em baixa e acabamos esgotados no final do dia, sem energia para pensar e aprender. A meditação é uma maneira de diminuir o número de canais retirando energia do lago. Eventualmente, ela ensina a canalizar essa energia de maneira apropriada e até a aumentar a capacidade do reservatório.

Eu meditei de fato, pela primeira vez, há cerca de três anos. Desde então, minha prática tem sido intermitente. Esse é o objetivo deste novo projeto – garantir a minha saúde mental com exercícios consistentes todo dia. Para isso, resolvi aplicar o princípio de que é melhor começar pequeno e ir crescendo aos poucos do que começar com duas horas de prática e desistir na primeira dificuldade.

Portanto, durante a próxima semana, vou realizar pelo menos um minuto de meditação focada no corpo – em outras palavras, vou me sentar por um minuto todo dia e concentrar minha atenção na respiração, nos meus músculos, no meu corpo. Nada de complexo, nada de especial. Claro que, se eu tiver mais tempo e mais disposição, vou procurar fazer mais coisas. Meu intuito é, aos poucos, acrescentar mais práticas. No entanto, ao menos por essa semana, o mínimo é um minuto por dia.

Anúncios