Convict Conditioning – Dia 43

por Hugo

Começo da sétima semana de treinamento com o método apresentando no Convict Conditioning, de Paul Wade, publicado pela Dragon Door. Segunda-feira, o dia inicia com flexões de braço.

Pushup
Step 02: Incline Pushup
2 sets of 25
Por conta do atraso, foi necessário fazer na janela do trabalho, um pouco mais baixa que a pia, logo menor inclinação e maior dificuldade. Ardência no antebraço e no cotovelo no primeiro set. Braços trêmulos durante a primeira metade do segundo set; última repetição próxima do limite de exaustão.

Flexões de braço são uma dificuldade séria para mim, menos somente que as flexões de barra [nas quais ainda não me aventurei]. Durante esse exercício, notei que jogo meus cotovelos para fora quando faço o movimento de aproximação do peito com a superfície de apoio. Observei com atenção as fotos no livro e em sites e percebi que a grande maioria dos treinadores fazem esse tipo de flexão com os cotovelos junto ao corpo. FIz uma para testar e me pareceu ligeiramente mais difícil que abrindo os braços da forma que eu vinha fazendo, então para a próxima semana, tentarei fazer do jeito que vi nas fotografias.

A janela é mais ou menos dez centímetros mais baixa que a pia, mas apoiar-me nela não machuca as palmas. Ainda tenho um pouco de dificuldade para acertar a cadência de 2 segundos para baixar – 1 segundo de repouso na posição baixa – 2 segundos para levantar – 1 segundo de repouso na posição inicial. A complicação está em não gerar um momentum que roube o trabalho dos músculos e passe para a movimentação de subir e descer.

Apenas como observação, esse é o meu recorde em flexões inclinadas de braço. Nas minhas duas primeiras tentativas, parei em 2 séries de 20 repetições.

Leg Raise
Step 01: Knee Tuck
3 sets of 35
Primeiro set realizado com alguma dificuldade no término por cansaço dos músculos da coxa; segundo set causou cansaço significativo, com trabalho nítido dos músculos abdominais, até o ponto de pequena dor; coração acelerado e sede. Último set realizado com dificuldade a partir do primeiro terço; bastante suor e aquecimento do corpo; dor abdominal leve; sensação clara de trabalho dos músculos do abdomen e da lateral do quadril.

De alguma maneira, o recolhimento do joelho já não está sendo tão terrível assim. Tomei um cuidado especial para ter certeza de que não estava “roubando” no treino, fazendo o exercício de maneira errada, mas, até onde pude perceber, acho que meu torso está mais habituado com a exigência sobre os músculos do abdomen e das costas.

Algo que não mudou desde o primeiro treino é que esse exercício faz minha temperatura corporal subir rapidamente. Meu rosto rapidamente fica vermelho e eu começo a suar [embora não em bicas]. Na próxima semana, atinjo a progressão recomendada para avançar ao segundo passo!

Anúncios