Convict Conditioning – Dia 36

por Hugo

A sexta semana do regime do Convict Conditioning, o condicionamento do condenado, começa com as flexões inclinadas e o bom e velho recolhimento de joelho.

Pushup
Step 02: Incline Pushup
2 sets of 20
“Luva” feita com meias funcionou bem; cansaço considerável à altura da metade do segundo set. Considerar reduzir o ritmo de aumento de repetições.

Minha relação com a flexão de braço é curiosa. A primeira série de 20 repetições, por exemplo, transcorreu sem problemas. Eu nem sequer senti um cansaço muscular. Na segunda série, até a 10ª repetição, as coisas foram idênticas. Como se por um passe de mágica, na 11ª, foi como se todo a carga acumulada resolvesse agir sobre os músculos de ambos os braços.

No meu caso, essa sensação é como a luz no painel do carro que avisa que o tanque está “vazio”. Ele não está vazio de verdade, mas é um indicador que você está dirigindo na reserva e que deve abastecer logo ou correr o risco de uma pane seca. Com as flexões, é como se uma barra de energia surgisse e a velocidade de redução fosse grande, como se todas as minhas energias fossem consumidas rapidamente. Consegui completar as 20 repetições, mas acho que não conseguiria fazer nem mais duas.

As “luvas” que usei para proteger minhas mãos foram feitas simplesmente amarrando meias ao redor das palmas. Isso evita que a bancada da pia, minha superfície de exercício, deixem marcas muito incômodas pelo resto da manhã.

Por fim, a consideração sobre o aumento de repetições por treino vem da minha última tentativa com o CC. Eu estava justamente neste ponto, de 2 séries com 20 repetições, e queria passar para 2 séries de 25 repetições na semana seguinte porque estava focado em conseguir passar para o passo seguinte ainda naquele trimestre. O que aconteceu? Eu fiz 23/18 e, na outra semana, 24/16! Não adianta querer forçar uma progressão não-natural. Seu corpo não vai aceitar e você só vai se frustrar.

Leg Raise
Step 01: Knee Tuck
3 sets of 30
Primeiro set sem dificuldades, com bastante firmeza; último set com cansaço muscular significativo; ação nítida no quadril.

Na sequência, o exercício que me dá mais canseira mesmo estando somente no primeiro passo, a elevação de perna. Como eu já havia dito antes, a dificuldade não é apenas conseguir cumprir com o alto número de repetições, mas fazer direito. À medida que os números vão aumentando – 50, 60, 70 repetições – suas coxas já não querem se aproximar do seu torso e as pernas quase se apoiam no chão sozinhas. No próprio livro, o “Coach” Wade explica que esse realmente é um treino difícil, porque a posição inicial já exige trabalho dos seus músculos.

É curioso como o fortalecimento de uma parte do corpo anuncia a fraqueza em outra parte. É exatamente idêntico ao funcionamento de “gargalos” na produção industrial – quando você resolve um, outro ponto do processo se torna o limitador da produção. No começo, eu sentia dor na lateral do quadril, o próprio ato de mover as pernas causava cansaço; agora, os músculos do abdomen, que são justamente o objetivo dessa parte do treinamento, é que demonstram todo o esforço.

Uma recomendação que faço – se é que posso fazer qualquer uma no estágio em que estou – é concentrar os esforços nesse momento. É só uma vez por semana! Não se mate, mas não perca a chance de fazer o seu melhor.

Anúncios